terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Você não é o seu passado

na ponta do teu pé estão teus dedos, estão fedidos. pode cheirar. culpa do teu cachorro. e das tuas frieiras.
a pia do teu tanque ta quase entupindo. foi a terra molhada dos teus sapatos. culpa da chuva que não deu trégua.
... detesto a arrumação dos teus moveis. detesto essa tua falta de cuidado, esse seu descaso com as coisas só porque que não te pertencem.
me diz uma coisa, teu violão continua surdo-mudo? teus vícios continuam os mesmos? você ainda respira pela boca quando mastiga?
eu amo demais a tua mãe, amo mesmo. amo muito. mulherão. e o que isso tem a ver? nada, ela só te pariu.
sabia que da minha janela da pra ver o circo iluminado? lembra das pipocas e cachorro-quentes, e cocas? não né? você nunca lembra de nada.
sabe o que eu vou fazer? unidunitê nos meus livros e abrir uma pagina pra você.

" noventa e nove por cento de quem você é esta invisível e intocável" r.buckminster fuller

te faz sentido? preguiça. e saudades do seu edredon e também do argentino. ontem me lembrei daquele ultimo abraço no estacionamento. O tempo voa meu bem. Ou bem dela. acho que ta mais pra bem de ninguém. Ou será bem de todo mundo? mmmmmmmm

Nenhum comentário:

Postar um comentário

que bom vc deixou um comentario, adorei!