segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Costurando Almas

Eu to me segurando nas suas pernas,
passando a mão nas suas linhas;
nas suas letras.
Te sinto assim, diferente.
Pele macia.
Brisa sua que me acolhe no nosso silencio. Brisa sua que me faz escutar os pianos e os violinos. Juntas.
Escutamos instrumentos infinitos.

Melodia suave; intensa.
Intensa como você.
Melodia nem sempre harmoniosa.
Desafina.
Perde o compasso. Quase fobia.
Abraço mais forte os seus joelhos e prendo minha respiração. Congelo no espaço. Viajo no tempo. Percebo os gozos e os sussurros.

Confio, confio na certeza da sua certeza. No alvo trocado, melado de cevada. Me entrego. E ela passa a ponta dos dedos na minha franja e respira por mim. Me inspira profundo e bem devagar pra eu poder dançar no sistema imunológico dela.
Minha cabeça no final do seu tronco.
Seus pés no final do meu tronco.
Pétalas tão perto de pétalas. Agora plumas.

Ela sabe como me parir.
E num sopro de medo, de Medo tufão, os ossos tremem.
Não, dependência não.
Volto a respirar e ela se agarra na minha blusa. Me prendo nas fitas envolta dos quadris dela.
Passou. Respiramos. Voltou.
Seguramos. Afrouxamos. Seguramos, afrouxamos, Respiramos.
Seguramos, afrouxamos, seguramos, respiramos muitos cheiros, afrouxamos, tencionamos, respiramos, afrouxamos. E nos soltamos porque tem tambor. Muitos tambores. Muitas batidas.
Timbre grave quando a gente sente ódio do agudo, ódio do estridente. Deixa vir, e se deixa berrar ate estourar as cordas. Deixa romper. Aqui, ensurdecer é a escolha.

Então mãos. Mãos entre mãos. Assim. E ela me expira e espirra nossa bagunça.
Eu abro os olhos claros pra boca vermelha dela. Peito no peito. Quente. Multiplicidade continua.o
E está tudo ali. Bem ali, no mesmo lugar. Em qualquer lugar. No seu devido lugar.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

luxúria




Nada. Nada entre vocês. Água. Muita água. Não esquece. Doce de leite. Doce de leite é doce bom pra criança se lambuzar.

lu.xú.ria
1 Exuberância de seiva, serviço dos vegetais. 2 Cio. 3 Corrupção de costumes, lascívia, sensualidade. 4 Reg ch (Alagoas) Esperma, sêmen.

Um tango gostoso em:
http://www.youtube.com/watch?v=uIEECjJbWd8&feature=PlayList&p=B71906D7AB37AF61&index=0&playnext=1

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Todos os sentidos

Pizza de dois dias atras antes do meio dia. Tarde pra ela, cedo pra mim. Os ponteiros evaporam, e as regras também. Abro as pernas e reconheço o meu cheiro de saúde. Quase posso ver as coisas, não fosse pelos meus olhos. Tão irônico como ligar o ar condicionado num dia de verão. Chá de extratos de ervas e sementes, bem como ele, e sua pequena camisa de tricô.
Quem foi que fez isso tudo?

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Você não é o seu passado

na ponta do teu pé estão teus dedos, estão fedidos. pode cheirar. culpa do teu cachorro. e das tuas frieiras.
a pia do teu tanque ta quase entupindo. foi a terra molhada dos teus sapatos. culpa da chuva que não deu trégua.
... detesto a arrumação dos teus moveis. detesto essa tua falta de cuidado, esse seu descaso com as coisas só porque que não te pertencem.
me diz uma coisa, teu violão continua surdo-mudo? teus vícios continuam os mesmos? você ainda respira pela boca quando mastiga?
eu amo demais a tua mãe, amo mesmo. amo muito. mulherão. e o que isso tem a ver? nada, ela só te pariu.
sabia que da minha janela da pra ver o circo iluminado? lembra das pipocas e cachorro-quentes, e cocas? não né? você nunca lembra de nada.
sabe o que eu vou fazer? unidunitê nos meus livros e abrir uma pagina pra você.

" noventa e nove por cento de quem você é esta invisível e intocável" r.buckminster fuller

te faz sentido? preguiça. e saudades do seu edredon e também do argentino. ontem me lembrei daquele ultimo abraço no estacionamento. O tempo voa meu bem. Ou bem dela. acho que ta mais pra bem de ninguém. Ou será bem de todo mundo? mmmmmmmm

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

me deixa

Entende uma coisa,eu nao gosto que toquem nas minhas roupas.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

minuto mito

No tanque lava as camisas encharcadas de suor. No banheiro lava as calcinhas meladas. o detergente irrita os poros, resseca as palmas, fere as cutículas. Mas quem precisa de emulsionantes ao descobrir eles dois? Não, não mesmo. Questão: ate que ponto uma coceira pode dar prazer? .

Ta tudo sujo e ninguém quer saber de faxina. Os lençóis não são trocados faz 10 dias. e quem se importa? Pelos menos assim garantem companhia noturna nos fluidos. Ta valendo. A vassoura continua atras da porta, amiga da poeira. e ta valendo também. a pá não se sente só no chão. Ta ali, por perto, em paz. É, ... Deixa pra lá. Limpa o que der pra limpar, se quiser limpar. sabe? E daí que o desodorante acabou? Ferormonios são excitantes naturais legais. entao Que fedam todos juntos! e Amém.

Tem cera de vela por todos os cantos, tem cascas de frutas empilhadas na bancada, tem pombos na sacada. Nada mais nojento que pombos. E olha, o esgoto do banheiro não se ofende com essa afirmação. Só Mais um pentelho e ele jorra. Serio. E vai ter merda misturada com vomito. Ai sim, a coisa vai ficar feia. Digo, 'Eles não são frescos', nem podres. Tem gordura acoplada a carne, cálcio frágil, sangue violado, pulmoes poluídos ... Mas é só isso. As intenções são as melhores.

Lembrem do vô, ali, sentado na varanda do sito. Pois a cadeira de madeira balança no ritmo dos ventos de outono. Ele mostra pras meninas as folhas secas. No peito bate um coração aquecido, não mais pelo tecido xadrez vermelho, e sim, por elas. O colo do vô não parece pequeno quando acolhe maria eva e seus cabelos ruivos na perna esquerda. Boa menina. Na outra perna, em pé, maria vitoria e os olhos turquesa do pai. Boa menina também. Mexem nos cabelos grisalhos dele. O vô troca as fraldas das gêmeas. e agora sim, entende porque deus não lhe deu uma filha. Mundo doido, pensa ele. Mas ta valendo.

Escolhas são escolhas, frágeis como bolhas, não cabem em ampolas, como camadas de cebolas roxas. Roxo é a cor da divindade. Isto é, se acreditas em deus. Se não, tudo bem também. Ele ta bem. Ela também. la vem a paz. olham pra traz, mas nada mais, nada menos, tudo igual. Como foi. Feio e lindo, lindo e feio. Sem grandes sinais, sem mais pontuação.pois bem, as coisas são como são.

sábado, 5 de dezembro de 2009

mifu tifu

eu fodo, tu fodes, ele fode, ela fode, nos fudemos, vos fudeis, eles fodem e elas fodem.todos fodem. todos. o verbo eh conjugavel em todas as pessoas e em todos os tempos. sera? agora vejamos, hoje eh sabado a noite, sao 23:24, nao to fudendo, nem to fudida. mas eh fato que tem gente pensando que eu to. isso nao vem ao caso.
por favor, digam-me, deixem seus comentarios, quando foi que fuder, quando conjugado no ... que tempo verbal seria esse? presente do ato passado? ... fudeu ... nao quero pensar sobre... retomando, quando foi que fuder deixou de ser verbo e passou a adjetivo? ou adjunto adverbial de modo? estar fudido, estar fudida, estarmos fudidos. estivemos, estamos, estaremos fudidos?
pensemos:
estar: vem do verbo ser e eh utilizado quando pretende designar um estado de qq coisa.
fuder - putaria pesada entre dois indiviudos ou mais, independente do sexo, cuja suposta motivacao eh o prazer. finalidade: descolar uma boa gozada, se possivel.
humm, dito assim nao me parece traumatizante!
eh galera, fudeu a porra toda. e por isso to tirando ferias desse espaco. to afim de escrever com uma outra vibe que nao cabe aqui. Entre o que Ha eh forte demais,passei a postar um bando de bobeira e nao curti essa onda. ate respeito, mas por hora to curtindo pegar mais leve.
falando nisso, perdi um quilo e meio em 10 dias sem fazer dieta. alguem quer a receita? entao, a iluminacao da arvore da lagoa deve ta linda ne? tipo, que nem os carros de reboque estacionados la desde 15 h da tarde, ne? fico tao feliz ao lembrar que eh so atravessar a rua pra tomar um yogoberry. como amo os shoppings. e as princesas na orla de copacabana no ultimo domingo, alguem tirou uma foto pra mim? ay que amor. o amor nao eh lindo gente? e o rio de janeiro nao continua sendo!?!
isso eh que eh classe. pior eh que ironia nao eh acida pra mim. eu chupo limao feliz.

bom, mais justo seria se eu encerrasse as postagens no Entre o que Ha com algo bem melado, bem dolorido, bem suado. se possivel com um gozo.ai gozos ... beleza, que assim seja. vamos ver o que vem de beeem la do fundo ...

se meu amor tivesse nome, seria o seu
se meu amor tivesse corpo, seria o nosso
se meu amor tivesse alma, seria a da lua
se meu amor tivesse casa, seria o mar
se meu amor vivesse livre, estaria na sua cama
se meu amor vivesse em paz, nao estava em silencio
se meu amor vivesse mais perto, talvez nao estivesse tao longe
se meu amor nao fosse tao bruto, nao seria um diamante.

sim eu amo. sim, posso dizer que sei o que eh o amor. sei do meu amor. sim eu sei o nome dele, conheco seu corpo, sua alma, sei onde mora, sei do seu estado e por onde circula. sei do seu valor.
sim ... eu te amo, meu amor.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009